The Week

Tropas americanas de intervenção em África terão comando nos Açores

Ter, 15/04/2014 - 18:24

Os Estados Unidos preparam-se para instalar o comando das forças militares de intervenção e agressão no continente africano no território português dos Açores, na ilha Terceira.

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos vai votar a instalação do comando avançado norte-americano para a África (AFRICOM) na Base das Lajes.
A proposta legislativa, chamada “Africa Counter Terrorism Initiative Act”, foi avançada pelo congressista republicano Devin Nunes e tem o objectivo de deslocar as forças do AFRICOM da Alemanha para o território continental dos Estados Unidos e transformar as Lajes na sua única base avançada.
Neste momento, a proposta legislativa aguarda no Comité das Forças Armadas da Câmara dos Representantes. Devin Nunes tem agora de se reunir com o presidente desta comissão, John Boehner, para agendar a sua discussão.
A proposta de lei tem 40 apoiantes (co-sponsors), sendo apenas quatro do Partido Democrático.
"Deslocar o AFRICOM para os Estados Unidos vai poupar dezenas de milhões de dólares por ano. E, devido à sua posição geográfica única, as Lajes seriam a base avançada operacional ideal para o comando", explicou o director de comunicaçãos de Devin Nunes, Jack Langer, à agência Lusa.
Na proposta de lei, o congressista diz que "é do interesse nacional poupar milhões de dólares por ano e criar milhares de postos de trabalhos deslocando a sede do AFRICOM de Estugarda, na Alemanha, para o território continental dos EUA.
No texto, o congressista de origem açoriana diz que, segundo estudos do governo, o custo de manter o comando nos EUA seria 60 a 70 milhões de dólares inferior ao atual, sendo que o custo com despesas de habitação e custo de vida baixaria de 81 para 19 milhões anuais.
Nunes considera depois "particularmente preocupante" a possibilidade de destacar tropas para a base Morón, em Espanha, onde a "prontidão e eficiência das tropas é condicionada pela falta de infraestruturas."
A Base das Lajes, pelo contrário, acrescenta o congressista, "realizou melhorias nas suas infra-estruturas de mais de 150 milhões de dólares nos últimos 12 anos."
"A localização estratégica das Lajes, as melhorias das infraestruturas, o espaço aéreo sem restrições e as extraordinárias condições de treino para todas as forças fazem dela um activo fundamental e a base avançada operacional ideal para o AFRICOM", defende Nunes.

O plano deverá incluir ainda a relocalização da "Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response", uma unidade especializada da Marinha norte-americana, da base espanhola de Morón para as Lajes.

Um último ponto da proposta legislativa estabelece que, "com efeito pelo menos até ao fim do avaliação quadrienal da defesa em 2018, a Base das Lajes deve manter a sua operação 24 horas por dia, ao mesmo nível de prontidão de 2012 ou acima."
 

Redes Sociais
Opinião