The Week

Serviços públicos, o pitéu dos tubarões

Sex, 27/06/2014 - 15:43

Serviços Públicos, o pitéu dos tubarões - Marisa Matias 2014/06/27

A fuga de informação deve-se ao WikiLeaks porque a manobra foi montada secretamente: governos de 49 países, entre os quais os da União Europeia, estabelecem em Genebra um acordo que é uma rendição ao poder global das multinacionais financeiras “até não haver nada que escape ao apetite dos privados”, segundo a denúncia feita pela eurodeputada Marisa Matias.

O que os promotores deste acordo TISA pretendem, afirmou a eurodeputada do Bloco de Esquerda aos microfones do programa Conselho Superior da Antena 1, “é que as multinacionais financeiras concentradas em Londres, Nova York, Paris e Frankfurt passem a controlar 70% do comércio mundial desregulando ainda mais os mercados e chegando a todos os serviços que possam ser comercializados”.

Aí chegados, advertiu Marisa Matias, “não haverá nada, desde a água, aos transportes, à saúde, à educação que escape ao apetite dos privados”.

A eleita pelo Bloco de Esquerda, integrada no grupo da Esquerda Unitária (GUE/NGL) do Parlamento Europeu, defende a necessidade de haver uma oposição generalizada a um acordo como este, porque “está a retirar-se à pessoas o poder de decidir sobre as suas vidas”.

Em Genebra está a planear-se “um poder das multinacionais sem nome, sem rosto, um poder dos donos do mundo que querem ir buscar os recursos onde estão disponíveis para os concentrar nos bolsos dos seus clientes”, denunciou Marisa Matias. “E eles são donos do mundo porque são donos dos governos, neste caso dos 49 governos presentes, governos onde estes fantoches serão substituídos por outros fantoches quando já não servirem”.

A eurodeputada do Bloco de Esquerda lembrou que os poderes que vão beneficiar deste acordo são os mesmos que “geraram a crise” e pretendem agora “desmantelar o que resta dos serviços públicos”, dos direitos das pessoas. 

Redes Sociais
Opinião